A FISIOTERAPIA DERMATO FUNCIONAL NO TRATAMENTO DE QUEIMADURAS

A Fisioterapia Dermato funcional é uma especialidade dentre as diversas áreas de atuação da Fisioterapia que tem como finalidade estudar as disfunções da pele, procurando avaliar o problema e tratá-lo sem medicamentos ou alguma prática invasiva.

O tratamento de queimaduras sempre foi um grande desafio, tanto pela sua gravidade, como pelas diversas complicações que normalmente acontecem, assim como, pelas as sequelas que podem induzir à incapacidade funcional.

As queimaduras são ocasionadas por agentes térmicos, químicos, elétricos ou radioativos, e podem afetar a camada de revestimento do corpo, que pode ser destruído por parte parcial ou total da pele e seus anexos.

Importante destacar que certos tipos de queimaduras podem atingir a camada mais profunda da pele, em que podem ser classificadas de acordo com a profundidade e tamanho.

O objetivo deste texto foi ponderar a importância da fisioterapia na reabilitação do paciente queimado, abortando os vários critérios de classificação das lesões, assim como, o tratamento fisioterapêutico e os recursos fisioterapêuticos específicos para reabilitação de uma queimadura.

EPIDEMIOLOGIA

A maior incidência, acontece no sexo masculino, porém podem acontecer em diversas faixa etária, ocupação e situação econômica do paciente, crianças de até 6 anos são vítimas de escaldamento (líquidos quentes) ou queimaduras por combustão constituído 60% dos casos de acidentes domésticos. (GUIRRO; GUIRRO, 2002).

Em idosos são mais comuns devido à menor capacidade de reações e aptidões físicas, geralmente nas mulheres é constituída nos casos de 91% de tentativa de extermínio com a utilização de fogo. (GUIRRO; GUIRRO, 2002).

As queimaduras elétricas embora a incidência seja pequena (5 a 10%) são correspondidos a tipo mais agressivo de lesão térmica, geralmente podem ocorrer em acidentes de trabalho. (GUIRRO; GUIRRO, 20002).

As classificações podem ser de primeiro a quarto grau, a maneira de identifica – lá é da seguinte forma:

CLASSIFICAÇÃO DAS QUEIMADURAS

Tipos de queimaduras
Grau queimadura

Primeiro grau:

  • Não sangra, geralmente é seco;
  • É rosa e toda inervada;
  • É localizada na epiderme;
  • Vermelhidão;
  • Dolorida;
  • Exemplo: Geralmente é ocasionada por exposição solar;
  • Podem melhoram no intervalo de 3 a 6 dias podendo descamar e não deixam sequelas;

Segundo grau:

  • Atinge a derme;
  • Úmida;
  • Presença de flictenas (bolhas);
  • Hiperemia (vermelhidão);
  • Cura espontânea mais lenta, com possibilidade de formar cicatriz;
  • Segundo grau superficial, envolve a camada da epiderme e a mais superficial da derme, a reabilitação é mais demorada podendo levar por 3 semanas, não deixa cicatriz, mas o local da lesão pode ficar mais presente;
  • Segundo grau profunda, acometem toda a derme, que são equivalentes com a terceiro grau, é mais grave e a cicatrização demora mais que três semanas e deixam cicatrizes.

Terceiro grau

  • Atinge todos os anexos da pele;
  • Pouca ou nenhuma dor;
  • Úmida;
  • Cor branca, amarela ou marrom;
  • Não cicatriza espontaneamente;

Quarto grau

  • Ocorre através de acidentes de eletricidade;
  • Destruição completa de todos os tecidos;
  • A ferida estará totalmente carbonizada e deprimida;

A fisioterapia Dermato funcional vem por intermédio de prevenir e tratar as lesões causadas por queimaduras, no caso empresas, entre outros ambientes de trabalho inserem o fisioterapeuta a ensinar os trabalhadores a se protegerem dos riscos que estão inseridos por normas, como a NR – 10.

Sendo assim, é uma maneira de proteger a empresa e os funcionários, segundo a revista brasileira de queimaduras, no ano de 2016, 75% dos casos ocorrem em acidentes domésticos.

Portanto, é de extrema importância tomar providencias, e ensinar as pessoas a se prevenirem e evitarem acidentes.

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA

A intervenção fisioterapêutica, especialista na área de Dermato funcional, é de extraordinária importância, pois diminuem as sequelas deixadas pela lesão, na melhoria da qualidade de vida e da integração, não só física, como também psicológica para inserir novamente o indivíduo na sociedade.

Durante o acidente de queimadura independente do grau, os primeiros cuidados que devem ser realizados é o uso de água corrente na zona afetada, um jato fraco que deve ser levemente morna (SAÚDE TOTAL, 2008).

É importante ter uma pomada ou cremes para amenizar a hiperemia, existem diversos produtos farmacêuticos de baixo custo, como o creme de sulfadiazina de prata de 1,00%, independente se o indivíduo for alérgico a sulfa, é melhor deixar o indivíduo em lesão exposta sem atadura e outro envoltório (CORPO SAUDÁVEL, 2008).

Além disso, a utilização de analgésicos pode auxiliar nos primeiros socorros de queimaduras, para aliviar a dor e consulta ao médico imediatamente.

Na camada mais profunda afetada o tratamento inicial com pomadas, e frequentemente necessitam de enxertos, que é a retirada de pele de outras regiões, pois grande parte fica necrosada, e podem deixar cicatrizes mais ou menos visíveis. (SAÚDE TOTAL, 2008).

Numa visão fisiopatológica, a destruição da integridade capilar e vascular, que resulta no aparecimento de edemas, com a concomitante perda do fluido intravascular, rico em proteínas, espaços intercelulares, nos tecidos adjacentes(FILHO,2007).

Uma das maiores preocupações do fisioterapeuta é a imobilização ocorrente da parte lecionada, que é impedida o movimento devido a dor e isso pode resultar ainda mais em acumulação de edema, rigidez nas articulações e reter os tendões e músculos que também foram afetados (GUIRRO, GUIRRO 2007).

Existe uma forma de estimar, uma parte mais rápida da percentagem da área da superfície total do corpo que foi queimada, a profundidade e o grau da área, que é denominada de regra dos 9.

Para cada classificação de queimaduras se apresentará um quadro clínico diferente, que será tratado de diferentes maneiras, assim poderá ser observado:

  1. Quantidade de lesão tissular;
  2. O estado metabólico;
  3. Condições fisiológicas;
  4. O grau de infecção;
  5. O enfoque psicológico que irão interagir e sendo estudados para a melhora do paciente afetado.

No entanto, complicações pulmonares podem ocorrer por queimados, é extremamente alta e isso pode contribuir para o sucesso ou o fracasso da reabilitação, geralmente a pneumonia pode responder por mais de um de um terço das mortes ocasionadas por queimaduras.

A fisioterapia também atua na melhora de doenças respiratórias, no caso a pneumonia, é realizada uma avaliação, e tratamentos como higiene brônquica, existem técnicas invasivas e não invasivas.

Devido as diversas particularidades apresentadas pela lesão, o tratamento vai depender no caso de cada paciente, técnicas de expansão pulmonar, suporte ventilatório invasivo ou não invasivo, cada conduta é determinada de acordo com cada paciente

O tratamento das sequelas cicatriciais do tipo hipertrófica, está associada em programa de reabilitação ao uso de compressão, massoterapia e eletroterapia (BORGES, 2006).

No caso para dar início aos protocolos fisioterapêuticos em queimados, é importante avaliar e analisar o quadro clínico e observar quais são as áreas que precisam ser tratadas imediatamente, é preciso ter o controle de edema e a preservação da amplitude de movimento, que são prioridades, além, a prevenção de contraturas.

ultra som fisioterapia

RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS UTILIZADOS 

Exercícios ativos e passivos:

Devem ser realizados, independente se o paciente consegue realizar os seus movimentos, a posição e a imobilização se inicia no dia da admissão, que exige cuidados e atenção para que não ocorra contraturas. (PORTER, 2005).

A eletroterapia:

Pode ser utilizada, como um agente terapêutico para as sequelas de queimados, a eletroestimulação se mostra bem eficaz para a regeneração de tecidos.

No caso do laser acelera a reparação tecidual, em experimentos foi analisado que ocorre um aumento na proliferação de vários tipos de células, que inserem fibroblastos, células endoteliais e querátinócitos.

Este recurso é bastante utilizado, quando a lesão se encontra em aberto, porque estimula a regeneração da área através do reparo tecidual, a sua utilização é rápida e não – invasiva. (GUIRRO; GUIRRO, 2007).

A crioterapia:

É utilizada logo após a lesão e serve para aliviar a dor e diminuir a severidade da lesão de primeiro e segundo grau.

Este resfriamento permite uma vasoconstrição, limitando o escape de plasma e a prevenção da hipóxia secundária e a diminuição do metabolismo celular com as seguintes finalidades;

  • Diminuir o aparecimento de edemas, bolhas e promover a analgesia;
  • Auxilia no processo de cicatrização;
  • Alongamento do tecido conjuntivo

O ultrassom terapêutico:

Também pode ser utilizado para o tratamento de queimaduras, na fase ambulatorial, com dosagem de 1 a 2W/cm², no modo contínuo, o principal objetivo do uso desse recurso é a modelagem das fibras colágenas subjacentes à lesão cicatricial (BORGES,2006).

Segundo Dyson e Young, por meio de diversos estudos, chegaram à conclusão que o ultrassom pode acelerar respostas rápidas com a inflamação, promovendo entre os efeitos deste processo, a liberação de histamina, de fatores de crescimento pela granulação de macrófagos, plaquetas, além de auxiliar na síntese de fibroblastos e colágeno. (GUIRRO; GUIRRO,2007).

Infravermelho:

É um dos outros recursos que podem ser auxiliados no tratamento de queimaduras.

Podendo ser empregado para promover o:

  • Alívio para dor;
  • Aumento da mobilidade articular e reparação de lesões de tecidos moles, as respostas fisiológicas podem ocorrer através da vasodilatação;
  • Aumento de fluxo sanguíneo;
  • Aumento da leucocitose e fagocitose;
  • Aumento do metabolismo;
  • Relaxamento muscular;
  • Analgesia e aceleração de cicatrização.

(AGNE,2008).

CONCLUSÃO

Com a efetivação deste texto, está claro que a atuação da Fisioterapia é de fundamental importância para o paciente queimado, a Fisioterapia possui inúmeros recursos para melhor atender ao paciente.

Segundo O’Sullivan (2004) as metas para o tratamento reabilitativo e fisioterápico são contingentes com o prognóstico. Isso constitui que, quanto mais cedo existir intervenções, maiores serão as possibilidades de o paciente não ficar com sequelas.

Portanto, a Fisioterapia realizada de forma correta, por que não dizer permitir sua reabilitação total quando aceitável dando ao paciente um retorno as suas funções e atividades de vida diárias, por meio de um processo de tratamento motivador, agradável e prazeroso.

A partir do exposto, a fisioterapia atua com eficácia no tratamento de pacientes queimados, impedindo complicações e diminuindo as sequelas funcionais e estéticas

Bibliografia

REVISTA BRASILEIRA DE QUEIMADURAS; SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUEIMADURAS; VOLUME 15; NUMERO 4; 2016;

ROCHA.S.M; ROCHA. S. E; SOUZA.J.P; FISIOTERAPIA EM QUEIMADOS: UMA PESQUISA BIBLIOGRAFICA ACERCA DOS PRINCIPAIS RECURSOS FISIOTERÂPEUTICOS E SEUS BENEFÍCIOS; REVISTA TEMA; CAMPINA GRANDE; V. 9 JUNHO/ JULHO 2009- 2010;

PRESTES. B.R; O USO DA FISIOTERAPIA DERMATO–FUNCIONAL EM PACIENTES QUEIMADOS – REVISÃO BIBLIOGRÁFICA; REVISTA SAÚDE DOM ALBERTO, V.1, N.2, JUL/DEZ.2013

Elba Oriente

Elba Oriente

acadêmica do nono semestre em Fisioterapia, UNINTA, Forquilha, CE
Elba Oriente

Últimos posts por Elba Oriente (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *