Fisioterapia respiratória: Guia completo

Ao se fala em fisioterapia, a maior parte das pessoas raciocina prontamente em exercícios físicos, reabilitação ortopédica e conforto de dores articulares. Porém, você conhecia que tem diverso tipo de fisioterapia, tão extraordinário quanto, de maneira especial para os pacientes em tratamento do câncer? A fisioterapia respiratória.

guia fisioterapia respiratoria

O QUE É FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA?

A fisioterapia respiratória é uma área de atuação da fisioterapia que visa à precaução e o tratamento de males que comprometem o sistema respiratório como:

  • Asma;
  • Bronquite;
  • Insuficiência respiratória;
  • Tuberculose;
  • Dentre outras.

Portanto, sendo uma especialidade a área da Fisioterapia, ela deve ser sempre realizada pelo fisioterapeuta, podendo esta atuando em domicilio, na clínica, no hospital ou no trabalho.

A Fisioterapia Respiratória tem como definição um conjunto de métodos, técnicas e aparelhos usados pelo fisioterapeuta para prevenção, promoção e recuperação de disfunções que envolvem a ação da respiração, onde por sua vez, não é apenas marcado pelo funcionamento dos pulmões e vias aéreas, mas também pela participação de outros sistemas.

A Fisioterapia Respiratória pode atuar ainda, na forma de prevenção para o surgimento de complicações respiratórias dos pacientes, ponderando, sobretudo aqueles que se encontram internados e imobilizados.

Esses seguramente necessitam realizar tanto a fisioterapia motora como a respiratória durante sua constância no leito hospitalar, com intuito de garantir a progresso na qualidade geral do paciente por meio de técnicas que mirem ambos os sistemas, respiratório e cardiovascular.

Nas últimas décadas a fisioterapia respiratória evoluiu favoravelmente, proporcionando aos pacientes métodos ativos, conseguidas em posições mais confortáveis e tão ou mais concretas do que as convencionais.

A recomendação da fisioterapia respiratória necessita ser pautada no tempo e agravamento da doença, na relação do paciente com a mesma e nos sintomas expostos, assim como a frequência e a duração do tratamento.

Contudo, precisa ser levado em conta que a influência fisioterapêutica – começada prontamente após o diagnóstico de doenças que comprometem o sistema respiratório e realizado regularmente pelo paciente – torna mínimo os efeitos deletérios da obstrução.

A seguir será explanada a intervenção da fisioterapia respiratória abordando das principais técnicas, bem como os procedimentos terapêuticos e intervencionistas de fisioterapia respiratória empregados no dia-a-dia da clínica fisioterapêutica.

QUAIS OBJETIVOS E BENEFÍCIOS  DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA?

A fisioterapia respiratória tem como objetivo a retirada de secreções de vias aéreas, diminuindo a obstrução brônquica e a resistência das vias aéreas, facilitando as trocas gasosas e reduzindo o trabalho respiratório.

Visa também, estabelecer ou restabelecer um padrão respiratório funcional na finalidade de minimizar os gastos energéticos durante a ventilação, capacitando o indivíduo a conseguir as mais diversas atividades de vida diária sem gerar amplos transtornos e repercussões negativas em seu organismo.

O fisioterapeuta procura aumentar a capacidade ventilatória dos pulmões de seu paciente, utilizando-se de aparelhos específicos para a mobilização da secreção para facilitar a sua retirada.

Em afecções agudas, tem objetivo de reduzir o período de doenças ou de repercussão funcional. Já em processos crônicos, visa retardar seu progresso ou mantê-los paralisados.

A fisioterapia respiratória tem a finalidade de aprimorar a ventilação pulmonar dos pacientes, com base em métodos de exercícios respiratórios com inspirações e expirações além do volume corrente normal associado ou não mobilização do tronco e dos membros superiores.

fisioterapia respiratória em idosos

EXERCÍCIOS RESPIRATÓRIOS

Os padrões respiratórios empregados objetivam conscientizar as oscilações tóraco abdominais da respiração, aperfeiçoar o movimento da caixa torácica, aperfeiçoar a funcionalidade da musculatura respiratória e promover a melhora da ventilação pulmonar e a consequente oxigenação.

A cinesioterapia respiratória melhora o desempenho muscular, assim como excita a endurance, proporcionando um maior condicionamento cardiopulmonar.

Os exercícios propõem ainda, uma melhora na condição respiratória do paciente a partir da mobilização dos músculos ventilatórios que compõem seu sistema respiratório e pode ainda ser realizada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), abarcando aqui pacientes que permaneçam entubados, precisando da ajuda de aparelhos para respirar.

Os exercícios respiratórios são de extrema importância para o andamento do tratamento junto à aplicação das demais técnicas da Fisioterapia Respiratória costumam ser simples e de fácil execução.

Entretanto, é o fisioterapeuta que precisa escolher os métodos apropriados para cada caso específico, devendo, além disso, executá-los com o paciente para que este aprenda a efetuá-los.

Podemos citar alguns exemplos de exercícios respiratórios, como por exemplo:

  • Aceleração do Fluxo Expiratório (AFE);
  • Exercício respiratório diafragmático;
  • Inspiração máxima;
  • Exercício respiratório denominado suspiros ou soluços inspiratórios;
  • Exercício respiratório com expiração abreviada;
  • Exercício respiratório com manobra de compressão e descompressão ou exercício de descompressão brusca;
  • Respiração com freno labial.

fisioterapia respiratória em crianças

TÉCNICAS MANUAIS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA

Os recursos manuais são assim conhecidos por serem utilizados sem o uso de equipamentos, podendo ainda ser enquadrados na cinesioterapia respiratória. Por essa razão, são também conhecidos como manobras cinesioterápicas ou manobras manuais da fisioterapia respiratória.

É corriqueiro na fisioterapia respiratória o emprego das manobras de higiene brônquica, são de importância essencial no tratamento de doenças pulmonares com produção excessiva de muco.

A técnica de higiene brônquica é descrita de acordo com a literatura como fisioterapia respiratória convencional e envolvem as manobras de:

  • Drenagem postural;
  • Pressão manual torácica;
  • Facilitação da tosse e/ou aspiração de vias aéreas superiores.

 Outros exemplos de técnicas manuais:

  • Vibração;
  • Vibrocompressão;
  • Percussão cubital;
  • Percussão ou tapotagem;
  • Drenagem autogênica.

RECURSOS MECÂNICOS DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA

 Os recursos mecânicos da fisioterapia respiratória são de extrema importância na recuperação dos pacientes ambulatoriais, domiciliares ou hospitalares que apresentem disfunções respiratórias, são utilizados aparelhos.

Alguns exemplos:

  • Flutter ou Shaker®;
  • Inspirômetros de incentivo a volume;
  • Inspirômetros de incentivo a fluxo;
  • Voldyne®;
  • Threshold®;
  • Inaloterapia;
  • Aspiração traqueal;
  • Pressão positiva contínua na via aérea (CPAP);
  • Pressão positiva expiratória (EPAP);
  • Pressão positiva em dois níveis pressóricos nas vias aéreas (BIPAP);
  • Respiração com pressão positiva intermitente (RPPI).

MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DA FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA

Os métodos de avaliação da fisioterapia respiratória consistiram nos parâmetros de progresso da doença.

São eles:

  1. A anamnese;
  2. O exame físico;
  3. A oximetria;
  4. A análise do condicionamento cardiopulmonar, assim como os testes de função pulmonar, gasometria e radiografia de tórax.

Dados particulares, como por exemplo, a identificação de dispneia, fadiga e dor, aferidos pelas escalas de Borg e visual analógica – são fundamentais para avaliação qualitativa.

 Os exames ergométricos, como o teste de caminhada em seis minutos e o teste do degrau, também são avaliações admiráveis para definir o condicionamento cardiopulmonar dos pacientes.

CONCLUSÃO

A especialidade Fisioterapia Respiratória expõe um número relevante de cursos e profissionais habilitados, nos dias atuais, a ASSOBRAFIR, em parceria com o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO), entrega títulos de especialista nas áreas que representa, sendo os especialistas reconhecidos por meio de exame de proficiência.

Na Fisioterapia Respiratória, é importante destacar que para se ter um resultado positivo no tratamento, deve-se avaliar as condições clinicas de cada paciente, traçando assim um tratamento condizente ao mesmo.

Conclui-se que a fisioterapia contribui para a remoção de secreção brônquica, para a reexpansão dos tecidos pulmonares colapsados, e geram uma relação ventilação – perfusão apropriada dos tecidos ,melhora da função cardiovascular, fazendo com que o paciente possa voltar as suas atividades de vida diária mais rapidamente.
Pelo exposto acima, recomenda-se que estudos randomizados e de evidência clínica sejam realizados para proporcionar embasamento científico às técnicas utilizadas pela fisioterapia respiratória.

 

Felipe Ricardo

Felipe Ricardo

Felipe Ricardo – Apaixonado pela fisioterapia. Fisioterapeuta – CREFITO14/235419-F.
Pós-Graduado em nível de Aperfeiçoamento em Perícia Judicial certificado pela ABRAFIT, Especialista em Fisioterapia Intensiva certificado pelo ICF, Instituto Camilo Filho.
Felipe Ricardo

Últimos posts por Felipe Ricardo (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *